Bonica Prenda



Há algumas semanas atrás, a Lola me falou de uma ideia - e que poderia virar projeto - que estava matutando na cabeça, e que ela queria saber se eu topava também: Um ano, 365 dias sem compras. Tá, mas peraí, sem comprar nada? A Becky Bloom que existe em mim se assustou na hora. Não, calma, tem algumas regras, me tranquilizou ela.

Logo que me mudei pra Santa Catarina, comecei a procurar cursos de corte e costura pra fazer, pois ter a habilidade de fazer minhas próprias roupas era um sonho que já existia faz tempo. Depois, comprei a máquina, fiz várias coisas (inclusive várias muito emblemáticas, como a saia que usei quando casei no civil, ou o vestido que usei na minha despedida de solteira), me empolguei, após o curso segui aprendendo com tutoriais no Youtube... até que acabei voltando pra minha zona de conforto e deixei a costura como algo super eventual, e minha máquina só era ligada quando aparecia alguma demanda de uma amiga, ou pra fazer necessaires, bolsinhas e saquinhos. 

Esse ano, foi a vez da Lola realizar o sonho dela, uma máquina de costura novinha pra chamar de sua. E tanto a costura, como outros tantos trabalhos manuais, sempre estiveram presentes conosco durante nosso crescimento. Nossa mãe e avó materna chegaram a ter uma pequena confecção de roupas de baixo, lembro de passar horas brincando com retalhos, ou querendo ver todos os paninhos de prato que minha mãe já havia pintado.

Combinado a nossa afinidade com esse mundo, vem os brechós. Esses lugares mágicos, sempre nos deixaram encantadas, e uma longa visita a eles, era um dos nossos programas favoritos quando morávamos na mesma casa. Roupas com histórias, com muito estilo e a precinhos geralmente muito camaradas.

Por isso tudo, essas são as regras que a Lola colocou na até então ideia, mas agora projeto: Não podemos comprar nem roupas, nem acessórios e nem sapatos, a não ser que sejam de segunda mão ou podemos colocar a mão na massa e fazer com nossas próprias mãos, ou com nossas próprias máquinas.

Pra quem não sabe, produzimos conteúdo de beleza no Rainhas da Pechincha, desde 2016. A ideia é trazer possibilidades de maquiagem e cosméticos, que tenham um bom custo benefício, dicas, maneiras alternativas de usar os produtos... E no início comprávamos bem mais do que hoje, então mesmo que eu ainda me considere uma forte consumista, já comentamos entre nós que já há um processo de tentar reduzir esse consumo. De usar apenas o que tem e só então comprar novamente. De comprar menos.

E a partir do Rainhas da Pechincha, nós criamos o podcast RainhasPod e dedicamos um episódio para falar somente do Bonica Prenda, por isso aqui embaixo vai ficar disponível pra quem quiser escutar. Aliás, vale a pena comentar, e porque o nome é esse?

Depois de muitos e muitos dias tentando descobrir o nome ideal, optamos pelo espanhol. É um idioma que nos agrada muito, que temos conexões antepassadas, e que está bem presente na vida da Lola, afinal, desde 2017 ela e sua família moram em Santiago de Compostela, na Espanha. Bonica é um sinônimo para bonita e Prenda nada mais é do que peça de roupa. Faz sentido no português, faz sentido no espanhol, e faz sentido pra gente.


   
Aguardem novidades, pois pretendemos registrar todo o processo desses 365 dias, nessa nova casa. Vale dizer, hoje é dia 22, mas a data oficial do início é de 10 dias atrás, no dia: 12 de Junho, de 2020.


Hasta luego,


Kaka.


Nenhum comentário