Eu e o Crochê


Eu cresci vendo minha avó materna e a minha bisavó crochetarem, elas faziam muitas barras de panos de prato. Eu ficava encantada e na minha eterna curiosidade, quis aprender. Não obtive sucesso, achei muito difícil e abandonei de vez as tentativas, até que o tempo passou e passou... Mais de 20 anos depois, com o maravilhoso mundo do Youtube eu resolvi que era a hora de tentar mais uma vez, peguei uma agulha emprestada da minha mãe, comprei linha e aprendi o básico! Pelo menos as correntinhas que iniciam o trabalho e o ponto mais simples, o ponto baixo, eu fiz! Só que nessa época eu tinha um nenê pra cuidar, o que me tomava muito tempo, sem falar que estava empreendendo no mundo dos doces, resumo da história: não levei o crochê adiante. 

Mas é aquela coisa, eu moro na Espanha mas sou brasileira, ou seja, não desisto nunca! No início desse ano de 2020 eu resolvi que era hora de voltar pro crochê. Eu queria fazer uma bolsa e um cachepô, comprei linha e fio de malha, abri o Youtube e mandei ver. Fiz minhas primeiras peças e não parei mais! Aproveitei que a quarentena chegou e encomendei mais linhas e agulhas e segui crochetando, só que dessa vez peças pra mim mesma, já fiz várias blusas! Agora com o projeto de ficar um ano sem comprar, provavelmente algumas outras coisas serão tecidas. Principalmente quando chegar o inverno. 


Pra mim o crochê não é só mais um passatempo, ele é uma forma de produzir peças legais e únicas, além de ser excelente para relaxar, é quase uma terapia. Minha habilidade ainda não é das maiores, creio que o maior problema para criar peças de minha inteira autoria, seja a modelagem. Acredito que isso vou desenvolver com prática e observação, enquanto isso adapto receitas que busco na internet e me inspiro em obras de artistas muito talentosas. 

O crochê é um mundo encantado, depois que a gente entra, não quer mais sair! 

Nenhum comentário